sábado, 9 de janeiro de 2010

palavra doi²


Como prometido...

Porque palavra, mesmo, tem que doer: sair rasgando os seus lábios, sendo dita com saliva e sangue. Palavra tem que consumir os dedos, coçar a palma da mão e sair, com esse comichão, fazer doer os olhos que lêem. Palavra tem que ser grito e sussuro, verdade e mentira, medo e coragem. Palavra é a única coisa capaz de fazer sentir ciúme, de fazer sentir raiva. Palavra machuca mais que beijo, mais que olhar. Palavra trai e perdoa. Palavra excita muito mais que o teu assopro no meu ouvido, muito mais que suas mãos suadas redesenhando meu corpo. Palavra repele, insinua, palavra mente. Mente, mente, mente. A mãe e o pai da mentira é palavra. O filhos da verdade também são palavras. Palavra não protege ninguém, não respeita nenhum sorriso, vem trazendo lágrima para tua felicidade. Palavra faz sofrer, dói, dói, tem que doer. Palavra quebra a coisa mais forte desse mundo: o silêncio.

Não pude deixar de me apaixonar por esse texto do Cervical Poética.
Este é só um dos textos maravilhosos:

2 comentários:

Rosa disse...

Eu tô completamente lisonjeada. Muito obrigada. Espero continuar agradando, assim.
Aliás, que bela imagem que tu achou pra ilustrar!

Um beijo agradecido.

carol assemany disse...

oi poderoso,

TXT difu, viu?! Putz!

bjão.