sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Me explodindo


Não sei dizer se sou tão bom assim.
Não sei porque, não funcionou em mim
Estou aqui me propondo a me redimir

Não sei pra quê esse gênio imoral
È sempre assim... e se eu for anormal?
As vezes eu me comporto como um animal

São tantos planos destruidos
Não sei quem é mais meu amigo
Eu uso o faro e me aproximo
E eu sempre acabo me explodindo

...É quando vou agir
Não me levar
Por quem não sabe amar

E se eu chorar
Pra quê me arrepender?
Tentar viver
Ao menos, não morrer.



Quem não já se sentiu assim um dia?

Um comentário:

Traveler disse...

hahahha, aaaeeeee véééi!! bem vindo porra =). gostei do texto cara, parabéns! fuuui